Reificação

TUDO COMEÇA

COM O CANTO

ESTRIDENTE

/

COM A BESTIALIDADE

EM FORMA

MUSICAL MIMÉTICA

/

DOEM OS TÍMPANOS

EDUCADOS

NAS MELODIAS LIBERTAS

/

ARREBENTAM-SE

CEREBELOS

COMPOSTOS EM SINFONIAS

/

PASSAM-SE ASSIM

DIAS E NOITES

EM COMPASSOS EMPOBRECIDOS

/

VÃO TODOS

PARA OS CAMINHOS

DA ALIENAÇÃO E DO FETICHE

/

SÃO ELES

FILHOS DA SELVA DE PEDRA

FILHOS DA PEDRA DA SELVA

/

ENCAMINHAM-SE

LOUCAMENTE

PARA O DINHEIRO

/

ESBARRAM-SE

ATABALHOADAMENTE

NA MERCADORIA

/

ACABAM-SE

POR VENDER-SE

EM PREÇO

/

UMA DIVINDADE

FICTÍCIA

DEVE ESTAR ABOLIDA

/

É A PROSTITUTA

UNIVERSAL

CORROMPENDO A TODOS

//

INVERSAS

SÃO AS CONFUSÕES

DAS QUALIDADES NATURAIS

/

COM OS QUEBRANTES

QUALITATIVOS

DA AÇÃO HUMANA

/

OH! HUMANIDADE

POR QUE TENS

QUE VENDER SEMPRE?

/

MUNDO CÃO

QUANDO NÃO SE FAZ

ESTENDE-SE O VIL METAL

/

HOMENS

RELACIONAM-SE

COM COISAS

/

HOMENS

COISIFICADOS

FICAM

/

COISAS

ENGOLEM

HOMENS

/

COISAS

EMBRUTECEM

HOMENS

/

MAS

HOMENS AINDA

DESCOBREM O SER

/

DERRUBAM-SE

CASAMATAS

NA ESPERANÇA

/

CORREM-SE

MUSICAIS E CANÇÕES

EXPLOSÃO DE NOVO CANTO

/

EMBEBEDAM-SE

PAGODES E SERTANEJOS

AXÉS E ARROCHAS

//

CALANDO O ACALANTO

DA PUREZA

ESTÉTICA SOFRIDA

/

DANDO-SE

NOVO TOM

CULTURAL PEGAJOSO

/

NUMA PÁ DE CAL

QUE CHORA

NO SEPULCRO DO ALVORECER

/

SÓ NO SABER

NA CIÊNCIA

DESALIENAR-SE POSSA

/

MAS QUANDO

TRABALHO

POR PRODUTO LIVRE

/

Carlos Maia,

24 de julho de 2016.

Anúncios